Empresa de Máquinas Envelopadoras e Autoenvelopadoras

A Rizigraf - Comercio e Serviços de Máquinas LTDA surgiu a partir do conhecimento de um mercado tão amplo, tão explorado, mas ao mesmo tempo tão debilitado.

Presente no mercado há 4 anos, ciente das dificuldades que iria encontrar, mas por outro lado, com uma esperança de poder realizar sonhos e atender às necessidades dos clientes.

Sempre que visitava uma empresa ou escritório, por maior que fosse, percebia a dificuldade de instalar um equipamento devido ao espaço físico disponível.

Foi com muita dificuldade, dias e noites voltadas no projeto que finalmente surgiu a auto-envelopadora mais compacta do mercado brasileiro, a Piccola A4.


Fundamentos da Invenção

As diversas atividades e negócios movimentados pelas instituições bancárias, comerciais e órgãos governamentais geram uma quantidade elevada de documentos, principalmente a postagem de documentos, boletos bancários, informativos e propagandas, a serem remetidos via serviço de correio.

Apesar da correspondência eletrônica (e-mail) crescer gradativamente e conquistar lugar de destaque, devido à praticidade e permitir o envio infinitesimal de correspondências, não substitui totalmente o envio de correspondências via correio. Este fenômeno ocorre pelo fato de parte da população não ter acesso ou prática de manipular um microcomputador, para ter contas de acesso e receber correspondências por meio eletrônico.

Por esse motivo, grande parte das empresas ainda prefere o envio de correspondências via correio, principalmente de boletos e contas bancárias, multas de trânsito e avisos de cobrança. Além disso, o envio de informativos e propagandas por mala direta ainda é mais abrangente e impactante do que via correio eletrônico, haja vista que os usuários muita das vezes eliminam ditos e-mails sem ao menos lê-los. Ainda, a correspondência via correio permite o envio de cartões bancários, amostras de produtos e objetos, o que seria inviável de outra forma.

Como é sabido, notadamente por técnicos no assunto, nos processos atuais de elaboração de correspondência existem dois modelos básicos de carta, dos quais se derivam variações de configuração, ou seja: correspondências com uso de envelope e correspondência auto-envelopável.

Especificamente, as correspondências auto-envelopáveis tratam-se de cartas obtidas por processo de dobradura e um ou mais folhas sobrepostas sobre si, de forma a diminuir o seu comprimento até um tamanho padrão de correspondência, sendo o seu fechamento por meio de etiqueta ou colagem lateral. Atualmente, tal modelo é o mais utilizado, devido ao seu baixo custo de elaboração e por dispensar o uso de envelope, que são mais aplicados nos casos em que se exige sigilo no conteúdo ou devido à necessidade de envio de objetos junto a correspondência.

Para atender a crescente demanda de envio de correspondências auto-envelopáveis foram desenvolvidas diversos modelos de máquinas envelopadoras capazes de executar todas as etapas de elaboração, ou seja, impressão, compaginação, impregnação de cola, dobra e colagem.